Nibbana

Nibbana é a denominação para a libertação transcendente e singularmente indescritível que é o objetivo final dos ensinamentos do Buda




Definido em função do que é...

"Isto é a paz, isto é o sublime, isto é, o silenciar de todas as formações, o abandono de todas as aquisições, a destruição do desejo, desapego, cessação, Nibbana."

-- AN IX.36

Não há fogo como a paixão,
não há aflição como a raiva,
não há dukkha como os agregados,
não há felicidade superior à paz.

Fome é a pior enfermidade,
formações são o pior dukkha,
tendo compreendido como as coisas na verdade são:
nibbana é a felicidade suprema.

Saúde é o maior ganho,
contentamento é a maior riqueza,
alguém confiável é o melhor companheiro,
nibbana é a felicidade suprema.

-- Dhp 202-205

Os sábios, sempre
absortos em jhana
perseverando,
firmes no seu esforço:
eles experimentam Nibbana
a libertação incomparável
dos grilhões.

-- Dhp 23


...e em função do que não é

“Existe aquela esfera em que não há nem terra, nem água, nem fogo, nem ar; nem a esfera do espaço infinito, nem a esfera da consciência infinita, nem a esfera do nada, nem a esfera da nem percepção, nem não percepção; nem este mundo, nem o próximo mundo, nem sol, nem lua. E lá, eu digo, não há vir, nem ir, nem permanência; nem desaparecimento nem surgimento: não estabelecido, não desenvolvendo, sem suporte (objeto mental). Isso, justamente isso, é o fim do sofrimento."

-- Ud VIII.1

"Existe, bhikkhus, o que não nasceu - o que não é - o que não é fabricado - o que não é condicionado. Se não existisse o que não nasceu - o que não é - o que não é fabricado - o que não é condicionado, não haveria a situação na qual a emancipação do nascido - do que é - do fabricado - do condicionado seria discernida. Porém precisamente porque há o que não nasceu - o que não é - o que não é fabricado - o que não é condicionado, a emancipação do nascido - do que é - do fabricado - do condicionado é discernida."

-- Ud VIII.3

Onde as estrelas não brilham,
o sol não é visível,
a lua não aparece,
a escuridão não é encontrada.

E quando um sábio,
Um brâmane através da sabedoria,
compreendeu isso de modo direto,
então do material e do imaterial,
do prazer e da dor,
ele está libertado

-- Ud I.10 


O primeiro avanço da pessoa em direção ao Nibbana coloca um fim em tanto sofrimento

Então o Abençoado, tomando um pouco de terra com a ponta da unha, disse aos bhikkhus, " O que vocês pensam, bhikkhus? O que é maior: a pequena quantidade de terra que tomei com a ponta da unha ou o grande planeta terra?"

"Venerável senhor, o grande planeta terra é muito maior. A pequena quantidade de terra que o Abençoado tomou com a ponta da unha é quase nada. Não é a centésima, milésima, centésima-milésima parte - esse pouco de terra que o Abençoado tomou com a ponta da unha - quando comparado com o grande planeta."

"Da mesma forma, bhikkhus, para um nobre discípulo com o entendimento consumado que penetrou as nobres verdades, o sofrimento que foi destruído e extinto é muito maior, enquanto que aquele que resta é quase nada. Não é a centésima, milésima, centésima-milésima parte quando comparado com a massa de sofrimento anterior que foi destruída e extinta, visto que haverá no máximo sete vidas. Tamanho é o benefício quando se consegue penetrar o Dhamma. Tamanho é o benefício quando se obtém o olho do Dhamma."

-- SN XIII.1 


O que acontece com aquele que realizou Nibbana?

[Aggivessana Vacchagotta:] " Quando a mente de um bhikkhu está libertada dessa forma, Mestre Gotama, onde ele renasce [após a morte]?”

[O Buda:] “O termo ‘renasce’ não se aplica, Vaccha.”

“Então ele não renasce, Mestre Gotama?”

“O termo ‘não renasce’ não se aplica, Vaccha.”

“Então ele ambos renasce e não renasce, Mestre Gotama?”

“O termo ‘ambos renasce e não renasce’ não se aplica, Vaccha.”

“Então ele nem renasce nem não renasce, Mestre Gotama?”

“O termo ‘nem renasce nem não renasce’ não se aplica, Vaccha.”

“Quando o Mestre Gotama é perguntado essas quatro questões; ele responde: ‘O termo “renasce” não se aplica, Vaccha; o termo “não renasce´não se aplica, Vaccha; o termo “ambos renasce e não renasce” não se aplica, Vaccha; o termo “nem renasce nem não renasce” não se aplica, Vaccha.’ Agora eu fiquei atordoado, Mestre Gotama, agora eu fiquei confuso e o tanto de confiança que eu havia obtido através da conversa anterior com o Mestre Gotama agora desapareceu.”

“É o suficiente para deixá-lo atordoado, Vaccha, o suficiente para deixá-lo confuso. Pois este Dhamma, Vaccha, é profundo, difícil de ser visto e difícil de ser compreendido, pacífico e sublime, que não pode ser alcançado através do mero raciocínio, sutil, para ser experimentado pelos sábios. É difícil que você o entenda possuindo uma outra opinião, aceitando um outro ensinamento, aprovando um outro ensinamento, dedicando-se a um outro treinamento e seguindo um outro mestre. Portanto, em retribuição, eu o questionarei acerca disso, Vaccha. Responda como quiser.

“O que você pensa, Vaccha? Suponha que um fogo estivesse queimando à sua frente. Você saberia que: ‘Este fogo está queimando na minha frente’?”

“Eu saberia, Mestre Gotama.”

“Se alguém lhe perguntasse, Vaccha: ‘Esse fogo à sua frente queima na dependência do que?’ – tendo sido assim perguntado, o que você responderia?”

“Sendo assim perguntado, Mestre Gotama, eu responderia: ‘Este fogo na minha frente queima na dependência de capim e gravetos.”

‘Se esse fogo à sua frente se extinguisse, você saberia que: ‘Este fogo na minha frente se extinguiu’?”

“Eu saberia, Mestre Gotama.”

“Se alguém lhe perguntasse, Vaccha: ‘Quando esse fogo à sua frente foi extinto, para qual direção ele se foi: para o leste, o oeste, o norte, ou o sul?’ – tendo sido perguntado dessa forma, o que você responderia?’

“Isso não se aplica, Mestre Gotama. O fogo queimou na dependência do seu combustível, do capim e gravetos. Quando isso foi consumido, se não há mais combustível, não tendo combustível, ele é extinto.”

“Assim também, Vaccha, o Tathagata abandonou aquela forma material pela qual alguém descrevendo o Tathagata o descreveria; ele a cortou pela raiz, fez dela como com um tronco de palmeira, eliminando-a de modo que não estará mais sujeita a futuro surgimento. O Tathagata está liberto de pensar em termos da forma material, Vaccha, ele é profundo, imensurável, difícil de ver e difícil de compreender em profundidade tal como o oceano. O termo ‘renasce’ não se aplica, o termo ‘não renasce’ não se aplica, o termo ‘ambos renasce nem não renasce’ não se aplica, o termo ‘nem renasce nem não renasce’ não se aplica. O Tathagata abandonou aquela sensação pela qual alguém descrevendo o Tathagata o descreveria ... o Tathagata abandonou aquela percepção pela qual alguém descrevendo o Tathagata o descreveria ... o Tathagata abandonou aquelas formações pela qual alguém descrevendo o Tathagata o descreveria ... o Tathagata abandonou aquela consciência pela qual alguém descrevendo o Tathagata o descreveria; ele a cortou pela raiz, fez dela como com um tronco de palmeira, eliminando-a de modo que não estará mais sujeita a futuro surgimento. O Tathagata está liberto de pensar em termos da consciência, Vaccha; ele é profundo, imensurável, difícil de ser examinado em profundidade tal como o oceano. O termo ‘renasce’ não se aplica, o termo ‘não renasce’ não se aplica, o termo ‘ambos renasce nem não renasce’ não se aplica, o termo ‘nem renasce nem não renasce’ não se aplica.”

-- MN 72 


O grito de vitória dos arahants

"O nascimento foi destruido, a vida santa foi vivida, o que deveria ser feito foi feito, não há mais vir a ser a nenhum estado."

-- SN XXII.59 


O fim de samsara

Alguns nascem no ventre,
malvados no inferno,
aqueles no bom caminho vão para
o paraíso,
enquanto que aqueles sem impurezas:
Nibbana.

-- Dhp. 126


 

O passo seguinte no Treinamento Gradual: A Quarta Nobre Verdade

 

Revisado: 24 Maio 2014

Copyright © 2000 - 2017, Acesso ao Insight - Michael Beisert: editor, Flávio Maia: designer.