Linguagem Correta

Samma Vaca

Linguagem Correta é o terceiro dos oito elementos do Nobre Caminho Óctuplo e, pertence ao grupo da virtude




Definição

"E o que é a linguagem correta? Abster-se da linguagem mentirosa, da linguagem maliciosa, da linguagem grosseira e da linguagem frívola. A isto se chama linguagem correta."

-- SN XLV.8 


Cinco elementos para a linguagem correta

“Bhikkhus, um enunciado dotado com estes cinco elementos é bem falado, não é mal falado. Não será passível de crítica e censura pelos sábios. Quais cinco?

“É falado no momento apropriado. Contém a verdade. Falado com afeição. Falado para trazer benefício. Falado com a mente plena com amor bondade.”

-- AN V.198

 


O perigo em mentir

"Para a pessoa que transgride em uma coisa, eu lhes digo, não haverá nenhum mal que não possa ser cometido. Qual coisa? Isto: dizer uma mentira de forma deliberada."

A pessoa que mente,
que transgride nessa única coisa,
sem tomar em conta o próximo mundo:
não existe mal
que ela não possa cometer.

-- It 25 


Auto purificação através da cuidadosa escolha da linguagem

" E como alguém se torna puro de quatro formas pela ação verbal? É o caso em que alguém, abandonando a linguagem mentirosa, se abstém da linguagem mentirosa; tendo sido chamado para uma corte, uma reunião, um encontro com seus parentes, com a sua corporação, com a família real, se assim for questionado como testemunha: 'Então, bom homem, diga o que você sabe,' se ele não souber, dirá, 'Eu não sei'; se ele souber, dirá, 'Eu sei'; se ele não viu, dirá, 'Eu não vi'; se ele viu, dirá, 'Eu vi'. Assim com plena consciência ele não conta mentiras em seu próprio benefício, pelo benefício de outros ou para obter algum benefício mundano insignificante. Abandonando a linguagem maliciosa, ele se abstém da linguagem maliciosa; o que ouviu aqui ele não conta ali para separar aquelas pessoas destas, ou, o que ouviu lá ele não conta aqui para separar estas pessoas daquelas; assim ele reconcilia aquelas pessoas que estão divididas, promove a amizade, ele ama a concórdia, se delicia com a concórdia, desfruta da concórdia, diz coisas que criam a concórdia. Abandonando a linguagem grosseira, ele se abstém da linguagem grosseira. Ele diz palavras que são gentis, que agradam aos ouvidos, carinhosas, que penetram o coração, que são corteses, desejadas por muitos e que agradam a muitos. Abandonando a linguagem frívola, ele se abstém da linguagem frívola. Ele fala na hora certa, diz o que é fato, aquilo que é bom, fala de acordo com o Dhamma e a Disciplina; nas horas adequadas ela diz palavras que são úteis, racionais, moderadas e que trazem benefício. Assim é como alguém se torna puro de quatro formas pela ação verbal.

-- AN X.176 


Sua relação com os demais elementos do caminho

"E como é que o entendimento correto vem primeiro? A pessoa compreende a linguagem incorreta como linguagem incorreta e linguagem correta como linguagem correta. E o que é linguagem incorreta? Linguagem mentirosa, linguagem maliciosa, linguagem grosseira e linguagem frívola: isto é linguagem incorreta.

"A pessoa faz o esforço para abandonar a linguagem incorreta e penetrar a linguagem correta: esse é o esforço correto da pessoa. A pessoa com atenção plena abandona a linguagem incorreta e penetra e permanece com a linguagem correta: Essa é a atenção plena correta da pessoa. Assim essas três qualidades - entendimento correto, esforço correto, e atenção plena correta – giram em torno da linguagem correta."

-- MN 117 


O critério para decidir aquilo que vale a pena ser dito

[1] "No caso de palavras que o Tathagata sabe que não correspondem aos fatos, inverdades, não trazem nenhum benefício ( ou não estão conectadas com o objetivo ), antipáticas e desagradáveis para os outros, ele não as diz.

[2] "No caso de palavras que o Tathagata sabe que são fatuais, verdadeiras, não trazem nenhum benefício, antipáticas e desagradáveis para os outros, ele não as diz.

[3] "No caso de palavras que o Tathagata sabe que são fatuais, verdadeiras, benéficas, porém antipáticas e desagradáveis, ele possui o bom senso do momento correto de dizê-las.

[4] "No caso de palavras que o Tathagata sabe que não correspondem aos fatos, inverdades, não trazem nenhum benefício porém são simpáticas e agradáveis para os outros, ele não as diz.

[5] "No caso de palavras que o Tathagata sabe que são fatuais, verdadeiras, não trazem nenhum benefício, porém são simpáticas e agradáveis para os outros, ele não as diz.

[6] "No caso de palavras que o Tathagata sabe que são fatuais, verdadeiras, benéficas, e simpáticas e agradáveis para os outros, ele possui o bom senso do momento correto de dizê-las. Por que isso? Porque o Tathagata tem compaixão pelos seres vivos."

-- MN 58

Usemos palavras
que não nos causem dor
nem que tormentem os outros:
essas são as palavras bem faladas.

Usemos palavras agradáveis,
que alegrem as pessoas.
Sem recorrer a palavras más.

-- Snp III.3 


Reflita acerca da sua linguagem antes, durante e após falar...

[O Buda fala com seu filho, Rahula:] “Rahula, quando você quiser praticar uma ação verbal, você deveria refletir a respeito: 'Esta ação verbal que quero praticar - conduzirá à minha própria aflição, à aflição de outros, ou ambos? É uma ação verbal sem habilidade, com conseqüências dolorosas, resultados dolorosos?' Se, refletindo, você sabe que conduzirá à sua própria aflição, à aflição de outros, ou ambos; será uma ação sem habilidade com conseqüências dolorosas, resultados dolorosos, então qualquer ação verbal desse tipo é totalmente inadequada. Porém se refletindo, você sabe que não causará aflição...será uma ação habilidosa com felizes conseqüências, felizes resultados, então qualquer ação verbal desse tipo é adequada.

"Também, Rahula, enquanto você estiver praticando uma ação verbal, você deveria refletir a seu respeito: 'Esta ação verbal que estou praticando - conduzirá à minha própria aflição, à aflição de outros, ou ambos? É uma ação verbal sem habilidade, com conseqüências dolorosas, resultados dolorosos?' Se, refletindo, você sabe que conduzirá à sua própria aflição, à aflição de outros, ou ambos...você deveria desistir dela. Porém se refletindo você sabe que não é...você pode continuar com a ação verbal.

“Também, Rahula, tendo praticado uma ação verbal, você deveria refletir a respeito ... se, refletindo, você sabe que conduziu à sua própria aflição, à aflição de outros, ou ambos; foi uma ação sem habilidade com conseqüências dolorosas, resultados dolorosos, então você deveria confessá-la, revelá-la, abri-la para o Mestre ou um sábio companheiro na vida santa. Tendo confessado...você deve exercer contenção no futuro. Porém se refletindo você sabe que não conduziu à aflição...foi um ação verbal habilidosa com conseqüências felizes, resultados felizes, então você deveria se sentir mentalmente renovado e contente, treinando dia e noite nos estados benéficos.

-- MN 61 


Tipos de linguagem que deve ser evitada por contemplativos

"Enquanto que alguns sacerdotes e contemplativos, vivendo de alimentos dados em boa fé, estão habituados a falar de tópicos inferiores tais como estes – falar sobre reis, ladrões, ministros de estado, exércitos, alarmes e batalhas; comida e bebida, roupas, mobília, ornamentos e perfumes, parentes; veículos; vilarejos, vilas, cidades, o campo; mulheres e heróis; as fofocas das ruas e do poço; contos dos mortos; contos da diversidade (discussões filosóficas do passado e futuro), a criação do mundo e do mar e falar sobre a existência ou não das coisas – ele se abstém de falar de tópicos inferiores tais como esses. Isto, também, é parte da sua virtude.

"Enquanto que alguns sacerdotes e contemplativos, vivendo de alimentos dados em boa fé, estão habituados a debates tais como estes – ‘Você entende esta doutrina e disciplina? Eu sou aquele que entende esta doutrina e disciplina. Como pode você entender esta doutrina e disciplina? A sua prática é incorreta. Eu pratico corretamente. Eu sou consistente. Você não é. O que deve ser dito primeiro você fala por último. O que deve ser dito por último você fala primeiro. O que lhe tardou tanto tempo para pensar foi refutado. A sua doutrina foi derrubada. Você está derrotado. Vá e tente salvar a sua doutrina; solte a si mesmo se você puder!' – ele se abstém de debates tais como estes. Isto, também, é parte da sua virtude."

-- DN 2 


Dez tópicos saudáveis de conversação

"Existem esses dez tópicos [adequados] de conversação. Quais dez? Falar sobre ter poucas necessidades, sobre a satisfação, sobre o isolamento, sobre não estar enredado, sobre estimular a energia, sobre a virtude, sobre a concentração, sobre a sabedoria, sobre a libertação, e sobre o conhecimento e a visão da libertação. Esses são os dez tópicos de conversação. Se vocês conversassem repetidamente sobre esses tópicos de conversação, vocês ofuscariam até o sol e a lua com o seu brilho, tão forte, tão poderoso - para não dizer nada dos errantes de outras seitas."

-- AN X.69 


Como chamar a atenção de alguém de maneira hábil

"Bhikkhus, um bhikkhu que deseja admoestar uma outra pessoa deve examinar a si mesmo com relação a cinco coisas e estabelecer nele mesmo cinco coisas antes de admoestar a outra pessoa. Com relação a quais cinco coisas ele deve examinar a si mesmo?

(1) "Bhikkhus, um bhikkhu que deseja admoestar uma outra pessoa deve examinar a si mesmo assim: 'O meu comportamento corporal é puro? Possuo o comportamento corporal que é puro, impecável, e irrepreensível? Essa qualidade existe em mim, ou não?' Se o comportamento corporal do bhikkhus não for puro, e ele não possuir o comportamento corporal que é puro, impecável, e irrepreensível, haverá aqueles que dirão: 'Por favor treine primeiro a si mesmo no comportamento corporal.' Haverá aqueles que lhe dirão isso.

(2) "Outra vez, um bhikkhu que deseja admoestar uma outra pessoa deve examinar a si mesmo assim: 'O meu comportamento verbal é puro? Possuo o comportamento verbal que é puro, impecável, e irrepreensível? Essa qualidade existe em mim, ou não?' Se o comportamento verbal do bhikkhus não for puro, e ele não possuir o comportamento verbal que é puro, impecável, e irrepreensível, haverá aqueles que dirão: 'Por favor treine primeiro a si mesmo no comportamento verbal.' Haverá aqueles que lhe dirão isso.

(3) "Outra vez, um bhikkhu que deseja admoestar uma outra pessoa deve examinar a si mesmo assim: 'Eu estabeleci uma mente com amor bondade sem ressentimentos em relação aos meus companheiros bhikkhus? Essa qualidade existe em mim, ou não?' Se o bhikkhu não estabeleceu uma mente com amor bondade sem ressentimentos em relação aos seus companheiros bhikkhus, haverá aqueles que dirão: 'Por favor estabeleça uma mente com amor bondade em relação aos seus companheiros bhikkhus.' Haverá aqueles que lhe dirão isso.

(4) "Outra vez, um bhikkhu que deseja admoestar uma outra pessoa deve examinar a si mesmo assim: 'Sou estudado, memorizo e me recordo aquilo que aprendi? Aprendi muito daqueles ensinamentos que são admiráveis no início, admiráveis no meio, admiráveis no final, com o significado e fraseado corretos, que revelam uma vida santa que é completamente perfeita e imaculada? Memorizei esses ensinamentos, os recitei verbalmente, investiguei com a mente e penetrei corretamente com o entendimento? Essa qualidade existe em mim, ou não?' Se o bhikkhu não é estudado ... não penetrou corretamente com o entendimento, haverá aqueles que dirão: 'Por favor primeiro aprenda os ensinamentos.' Haverá aqueles que lhe dirão isso.

(5) "Outra vez, um bhikkhu que deseja admoestar uma outra pessoa deve examinar a si mesmo assim: 'Ambos Patimokkhas me foram transmitidos em detalhe, foram bem analisados, bem dominados, bem estabelecidos com relação às suas regras e explicações detalhadas? Essa qualidade existe em mim, ou não?' Se ambos Patimokkhas não foram transmitidos em detalhe ... bem estabelecidos com relação às suas regras e explicações detalhadas, e se quando perguntado: 'Onde o Abençoado disse isso?' ele for incapaz de responder, haverá aqueles que dirão: 'Por favor primeiro aprenda a disciplina.' Haverá aqueles que lhe dirão isso.

"É com relação a essas cinco coisas que ele deve examinar a si mesmo.

"Quais são as cinco coisas que ele deve estabelecer nele mesmo? Ele deve pensar: '(6) falarei no momento oportuno, não no momento inoportuno; (7) direi a verdade, não mentiras; (8) falarei de modo gentil, não grosseiro; (9) falarei de modo benéfico, não prejudicial; (10) falarei com amor bondade na mente, não com raiva.' Essas são as cinco coisas que ele deve estabelecer nele mesmo.

"Bhikkhus, um bhikkhu que deseja admoestar uma outra pessoa deve examinar a si mesmo com relação a essas cinco coisas e estabelecer nele mesmo essas cinco coisas antes de admoestar a outra pessoa."

-- AN X.44 


 

O passo seguinte no Treinamento Gradual: Ação Correta

 

Revisado: 28 Dezembro 2013

Copyright © 2000 - 2017, Acesso ao Insight - Michael Beisert: editor, Flávio Maia: designer.