A Nobre Verdade de Dukkha

Dukkha ariya sacca



Definição

" Agora Bhikkhus, esta é a nobre verdade do sofrimento: nascimento é sofrimento, envelhecimento é sofrimento, enfermidade é sofrimento, morte é sofrimento; tristeza, lamentação, dor, angústia e desespero são sofrimento; a união com aquilo que é desprazeroso é sofrimento; a separação daquilo que é prazeroso é sofrimento; não obter o que se deseja é sofrimento; em resumo, os cinco agregados influenciados pelo apego são sofrimento.

-- SN LVI.11


A análise do Venerável Sariputta

“E o que, amigos, é a nobre verdade do sofrimento? O nascimento é sofrimento; o envelhecimento é sofrimento; a morte é sofrimento; tristeza, lamentação, dor, angústia e desespero são sofrimento; não obter o que se deseja é sofrimento; em resumo, os cinco agregados influenciados pelo apego são sofrimento.

“E o que, amigos, é nascimento? O nascimento dos seres nas várias classes de seres, o próximo nascimento, o estabelecimento [num ventre], a geração, a manifestação dos agregados, a obtenção das bases para contato – a isto se denomina nascimento.

“E o que, amigos, é o envelhecimento? O envelhecimento dos seres nas várias categorias de seres, a sua idade avançada, os dentes quebradiços, os cabelos grisalhos, a pele enrugada, o declínio da vida, o enfraquecimento das faculdades – a isto se denomina envelhecimento.

“E o que, amigos, é a morte? O falecimento de seres nas várias categorias de seres, a sua morte, a dissolução, o desaparecimento, o morrer, a finalização do tempo, a dissolução dos agregados, o cadáver descartado – a isto de denomina morte.

“E o que, amigos, é a tristeza? A tristeza, entristecimento, sofrimento, tristeza interior, arrependimento interior, de alguém que sofreu alguma desgraça ou que está afetado por alguma situação dolorosa – a isto se denomina tristeza.

“E o que, amigos, é a lamentação? O pranto e o lamento, chorar e lamentar, o choro e a lamentação de alguém que sofreu alguma desgraça ou que está afetado por alguma situação dolorosa – a isto se denomina lamentação.

“E o que, amigos, é a dor? Dor no corpo, desconforto corporal, a sensação dolorosa e desconfortável que surge do contato corporal – a isto se denomina dor.

“E o que, amigos, é a angústia? Dor mental, desconforto mental, a sensação dolorosa e desconfortável que surge do contato mental – a isto se denomina angústia.

“E o que, amigos, é o desespero? A confusão e o desespero, a tribulação e a desesperação de alguém que sofreu alguma desgraça ou que está afetado por alguma situação dolorosa – a isto se denomina desespero.

“E o que, amigos, é ‘não obter o que se deseja é sofrimento’? Para os seres sujeitos ao nascimento surge o desejo: ‘Ah, que nós não estivéssemos sujeitos ao nascimento! Que o nascimento não viesse para nós!’ Mas isto não pode ser obtido pelo desejo e não obter o que se deseja é sofrimento. Para os seres sujeitos ao envelhecimento...sujeitos à enfermidade...sujeitos à morte...sujeitos à tristeza, lamentação, dor, angústia e desespero, surge o desejo: ‘Ah, que nós não estivéssemos sujeitos à tristeza, lamentação, dor, angústia e desespero! Que a tristeza, lamentação, dor, angústia e desespero não surgissem para nós!’ Mas isto não pode ser obtido pelo desejo e não obter o que se deseja é sofrimento.

“E o que, amigos são os cinco agregados influenciados pelo apego que, em resumo, são sofrimento? Eles são: o agregado da forma material influenciado pelo apego, o agregado da sensação influenciado pelo apego, o agregado da percepção influenciado pelo apego, o agregado das formações influenciado pelo apego e o agregado da consciência influenciado pelo apego. Esses são os cinco agregados influenciados pelo apego que, em resumo, são sofrimento. A isto se denomina a nobre verdade do sofrimento.

-- MN 141


Definido em relação aos sentidos

"E qual, bhikkhus, é a nobre verdade do sofrimento? Deve ser dito: as seis bases internas dos sentidos. Quais seis? A base do olho, a base do ouvido, a base do nariz, a base da língua, a base do corpo, a base da mente. Isso é chamado a nobre verdade do sofrimento."

-- SN LVI.14  


Dukkha como um incêndio violento

"Bhikkhus, o todo está em chamas. E qual é esse todo que está em chamas? O olho está em chamas, as formas estão em chamas, a consciência no olho está em chamas, o contato no olho está em chamas, e qualquer sensação que surja tendo o contato no olho como condição – quer seja prazerosa, dolorosa ou nem prazerosa, nem dolorosa - isso também está em chamas. Em chamas com o que? Em chamas com o fogo da cobiça, o fogo da aversão, o fogo da delusão. Em chamas, eu lhes digo, com o nascimento, envelhecimento e morte, com a tristeza, lamentação, dor, angústia e desespero.

"O ouvido está em chamas, os sons estão em chamas...

"O nariz está em chamas, os aromas estão em chamas...

"A língua está em chamas, os sabores estão em chamas...

"O corpo está em chamas, as sensações tangíveis estão em chamas...

"A mente está em chamas, os objetos mentais estão em chamas, a consciência na mente está em chamas, o contato na mente está em chamas, e qualquer sensação que surja tendo o contato na mente como condição - quer seja prazerosa, dolorosa ou nem prazerosa, nem dolorosa. Em chamas com o que? Em chamas com o fogo da cobiça, o fogo da aversão, o fogo da delusão. Em chamas, eu lhes digo, com o nascimento, envelhecimento e morte, com a tristeza, lamentação, dor, angústia e desespero.

-- SN XXXV.28  


Dukkha deve ser conhecido

"’Dukkha deve ser conhecido. A causa porque dukkha se manifesta deve ser conhecida. A diversidade de dukkha deve ser conhecida. O resultado de dukkha deve ser conhecido. A cessação de dukkha deve ser conhecida. O caminho da prática para a cessação de dukkha deve ser conhecido.' Assim foi dito. E com referência a que foi dito isso?

"Nascimento é dukkha, envelhecimento é dukkha, enfermidade é dukkha, morte é dukkha; tristeza, lamentação, dor, angústia e desespero são dukkha; a união com aquilo que é desprazeroso é dukkha; a separação daquilo que é prazeroso é dukkha; não obter o que se deseja é dukkha; em resumo, os cinco agregados influenciados pelo apego são dukkha.

"E qual é a razão porque dukkha se manifesta? Desejo é a razão porque dukkha se manifesta.

"E qual é a diversidade de dukkha? Existe dukkha forte e fraco, que desaparece lentamente e que desaparece rapidamente. Essa é chamada a diversidade de dukkha.

"E qual é o resultado de dukkha? Existem alguns casos em que uma pessoa tomada pela dor, sua mente exausta, ela sofre, chora, lamenta, bate no seu peito e fica perturbada. Ou outra tomada pela dor, sua mente exausta, começa uma busca no exterior, ‘Quem conhece uma maneira para terminar com esta dor?' Eu lhes digo, bhikkhus, que dukkha resulta ou em perturbação ou em busca. Esse é chamado o resultado de dukkha.

"E qual é a cessação de dukkha? A partir da cessação do desejo, cessa dukkha; e justamente este nobre caminho óctuplo – entendimento correto, pensamento correto, linguagem correta, ação correta, modo de vida correto, esforço correto, atenção plena correta, concentração correta – é o caminho da prática que conduz à cessação de dukkha.

"Agora quando um nobre discípulo compreende desse modo dukkha, a causa porque dukkha se manifesta, a diversidade de dukkha, o resultado de dukkha, a cessação de dukkha, e o caminho da prática que conduz à cessação de dukkha, então ele compreende esta penetrante vida santa como sendo a cessação de dukkha."

-- AN VI.63


O passo seguinte no Treinamento Gradual: Dukkha

 

Revisado: 8 Setembro 2012

Copyright © 2000 - 2017, Acesso ao Insight - Michael Beisert: editor, Flávio Maia: designer.