A Nobre Verdade da Cessação de Dukkha

Dukkha nirodho ariya sacca



Definição

“Agora, bhikkhus, esta é a nobre verdade da cessação do sofrimento: é o desaparecimento e cessação sem deixar vestígios daquele mesmo desejo, abrir mão, descartar, libertar-se, despegar desse mesmo desejo.”

-- SN XLVI.11


O Desapego é supremo

“Entre todas as qualidades que possam haver, condicionadas ou não condicionadas, a qualidade do desapego – a subjugação do encantamento, a eliminação da sede, o desenraizamento do apego, o rompimento do ciclo, a destruição do desejo, desapego, cessação, nibbana – é considerada suprema. Aqueles que têm fé na qualidade do desapego têm fé naquilo que é supremo; e para aqueles que têm fé no que é supremo, supremo será o resultado."

-- It 90  


Silenciar: a marca característica do objetivo

"Isto é a paz, isto é o sublime, isto é, o silenciar de todas as formações, o abandono de todas as aquisições, a destruição do desejo, desapego, cessação, Nibbana. "

-- MN 64


Desvendando as causas do sofrimento

Em Savathi. ”Bhikkhus, a destruição das impurezas é para aquele que sabe e que vê, eu lhes digo, não para aquele que não sabe e que não vê. Vendo o que, sabendo o que, ocorre a destruição das impurezas? ‘Assim é a forma, essa é a sua origem, essa é a sua cessação. Assim é a sensação, essa é a sua origem, essa é a sua cessação. Assim é a percepção, essa é a sua origem, essa é a sua cessação. Assim são as formações, essa é a sua origem, essa é a sua cessação. Assim é a consciência, essa é a sua origem, essa é a sua cessação.’ A destruição das impurezas ocorre naquele que sabe dessa forma e que vê dessa forma.

“O conhecimento da destruição das impurezas com respeito à destruição das impurezas possui a sua condição, eu lhes digo. A esta não lhe falta um condição. E qual é a condição para o conhecimento da destruição das impurezas? Libertação deveria ser a resposta.

“A libertação possui a sua condição, eu lhes digo. A esta não lhe falta uma condição. E qual é a sua condição? Desapego deveria ser a resposta.

“O desapego possui a sua condição, eu lhes digo. A este não lhe falta uma condição. E qual é a sua condição? Desencantamento deveria ser a resposta.

“O desencantamento possui a sua condição, eu lhes digo. A este não lhe falta uma condição. E qual é a sua condição? Conhecimento e visão das coisas como na verdade elas são deveria ser a resposta.

“O conhecimento e visão das coisas como na verdade elas são possui a sua condição, eu lhes digo. A este não lhe falta uma condição. E qual é a sua condição? Concentração deveria ser a resposta.

“A concentração possui a sua condição, eu lhes digo. A esta não lhe falta uma condição. E qual é a sua condição? Felicidade deveria ser a resposta.

“A felicidade possui a sua condição, eu lhes digo. A esta não lhe falta uma condição. E qual é a sua condição? Tranqüilidade deveria ser a resposta.

“A tranqüilidade possui a sua condição, eu lhes digo. A esta não lhe falta uma condição. E qual é a sua condição? Êêxtase deveria ser a resposta.

“O êxtase possui a sua condição, eu lhes digo. A este não lhe falta uma condição. E qual é a sua condição? Satisfação deveria ser a resposta.

“A satisfação possui a sua condição, eu lhes digo. A esta não lhe falta uma condição. E qual é a sua condição? Convicção deveria ser a resposta.

“A convicção possui a sua condição, eu lhes digo. A esta não lhe falta uma condição. E qual é a sua condição? Sofrimento deveria ser a resposta.

“O sofrimento possui a sua condição, eu lhes digo. A este não lhe falta uma condição. E qual é a sua condição? Nascimento deveria ser a resposta.

“O nascimento possui a sua condição, eu lhes digo. A este não lhe falta uma condição. E qual é a sua condição? Ser/existir deveria ser a resposta.

“O ser/existir possui a sua condição, eu lhes digo. A este não lhe falta uma condição. E qual é a sua condição? Apego deveria ser a resposta.

“O apego possui a sua condição, eu lhes digo. A este não lhe falta uma condição. E qual é a sua condição? Desejo deveria ser a resposta.

“O desejo possui a sua condição, eu lhes digo. A este não lhe falta uma condição. E qual é a sua condição? Sensação deveria ser a resposta.

“A sensação possui a sua condição, eu lhes digo. A esta não lhe falta uma condição. E qual é a sua condição? Contato deveria ser a resposta.

“O contato possui a sua condição, eu lhes digo. A este não lhe falta uma condição. E qual é a sua condição? As seis bases dos sentidos deveria ser a resposta.

“As seis bases dos sentidos possuem a sua condição, eu lhes digo. A estas não lhes falta uma condição. E qual é a sua condição? Mentalidade-materialidade (nome e forma) deveria ser a resposta.

“A mentalidade-materialidade (nome e forma) possui a sua condição, eu lhes digo. A esta não lhe falta uma condição. E qual é a sua condição? Consciência deveria ser a resposta.

“A consciência possui a sua condição, eu lhes digo. A esta não lhe falta uma condição. E qual é a sua condição? Formações deveria ser a resposta.

“As formações possuem a sua condição, eu lhes digo. A estas não lhes falta uma condição. E qual é a sua condição? Ignorância deveria ser a resposta.

“Assim, as formações possuem a ignorância como sua condição,

a consciência possui as formações como sua condição,

a mentalidade-materialidade (nome e forma) possui a consciência como sua condição,

as seis bases dos sentidos possuem a mentalidade-materialidade (nome e forma) como sua condição,

o contato possui as seis bases dos sentidos como sua condição,

a sensação possui o contato como sua condição,

o desejo possui a sensação como sua condição,

o apego possui o desejo como sua condição,

o ser/existir possui o apego como sua condição,

o nascimento possui o ser/existir como sua condição,

o sofrimento possui o nascimento como sua condição,

a convicção possui o sofrimento como sua condição,

a satisfação possui a convicção como sua condição,

o êxtase possui a satisfação como sua condição,

a tranqüilidade possui o êxtase como sua condição,

a felicidade possui a tranqüilidade como sua condição,

a concentração possui a felicidade como sua condição,

o conhecimento e visão das coisas como na verdade elas são possui a concentração como sua condição,

o desencantamento possui o conhecimento e visão das coisas como na verdade elas são como sua condição,

o desapego possui o desencantamento como sua condição,

a libertação possui o desapego como sua condição,

o conhecimento do fim das impurezas possui a libertação como sua condição,

“Tal qual quando os devas trovejam e vertem gotas pesadas de chuva no alto das montanhas: A água flui pelas encostas, enchendo as fissuras, rachaduras e valas. Quando as fissuras, rachaduras e valas estão repletas, as gotas pesadas de chuva enchem as pequenas lagoas. Quando as pequenas lagoas estão preenchidas, elas enchem os grandes lagos. Quando os grandes lagos estão preenchidos, elas enchem os pequenos rios. Quando os pequenos rios estão preenchidos, elas enchem os grandes rios. Quando os grandes rios estão preenchidos, elas enchem o grande oceano; assim também, tendo a ignorância como condição, as formações [surgem]; tendo as formações volitivas como condição, a consciência; tendo a consciência como condição, a mentalidade-materialidade (nome e forma); tendo a mentalidade-materialidade (nome e forma) como condição, as seis bases dos sentidos; tendo as seis bases dos sentidos como condição, o contato; tendo o contato como condição, a sensação; tendo a sensação como condição, o desejo; tendo o desejo como condição, o apego; tendo o apego como condição, o ser/existir; tendo o ser/existir como condição, o nascimento; tendo o nascimento como condição, o sofrimento; tendo o sofrimento como condição, a convicção; tendo a convicção como condição, a satisfação; tendo a satisfação como condição, o êxtase; tendo o êxtase como condição, a tranqüilidade; tendo a tranqüilidade como condição, a felicidade; tendo a felicidade como condição, a concentração; tendo a concentração como condição, o conhecimento e visão das coisas como na verdade elas são; tendo o conhecimento e visão das coisas como na verdade elas são como condição, o desencantamento; tendo o desencantamento como condição, o desapego; tendo o desapego como condição, a libertação; tendo a libertação como condição, o conhecimento do fim das impurezas.”

-- SN XII.23


Onde nem o prazer nem a dor podem surgir

“Mas com o desaparecimento e cessação sem deixar vestígios dessa mesma ignorância, não há o corpo condicionado por aquilo que faz o prazer e a dor surgirem no interior. Não há linguagem ... a mente condicionada por aquilo que faz o prazer e a dor surgirem no interior. O campo não existe, o local não existe, o fundamento não existe, a base não existe, condicionada por aquilo que faz o prazer e a dor surgirem no interior.”

-- SN XII.25


Condicionalidade Isto/Aquilo

"E qual é o nobre método que ele viu claramente e penetrou completamente através da sabedoria? É o caso em que um nobre discípulo observa:

Quando existe isso, aquilo existe.
Com o surgimento disso, aquilo surge.
Quando não existe isso, aquilo também não existe.
Com a cessação disto, aquilo cessa.

"Em outras palavras:

"Da ignorância como condição, as formações [surgem].
Das formações como condição, a consciência.
Da consciência como condição, a mentalidade-materialidade (nome e forma).
Da mentalidade-materialidade (nome e forma) como condição, as seis bases dos sentidos.
Das seis bases dos sentidos como condição, o contato.
Do contato como condição, as sensações.
Das sensações como condição, o desejo.
Do desejo como condição, o apego.
Do apego como condição, o ser/existir.
Do ser/existir como condição, o nascimento.
Do nascimento como condição, envelhecimento e morte, tristeza, lamentação, dor, angústia e desespero.
Essa é a origem dessa massa de estresse e sofrimento.

"Agora do desaparecimento e cessação sem deixar vestígios dessa mesma ignorância cessam as formações.
Da cessação das formações cessa a consciência.
Da cessação da consciência cessa a mentalidade-materialidade (nome e forma).
Da cessação da mentalidade-materialidade (nome e forma) cessam as seis bases dos sentidos.
Da cessação das seis bases dos sentidos cessa o contato.
Da cessação do contato cessa a sensação.
Da cessação da sensação cessa o desejo.
Da cessação do desejo cessa o apego.
Da cessação do apego cessa o ser/existir.
Da cessação do ser/existir cessa o nascimento.
Da cessação do nascimento, então, envelhecimento e morte, tristeza, lamentação, dor, angústia e desespero, tudo cessa.
Essa é a cessação dessa massa de estresse e sofrimento.

"Esse é o nobre método que ele viu claramente e penetrou completamente através da sabedoria.”

-- AN X.92


O passo seguinte no Treinamento Gradual: Nibbana

 

Revisado: 16 Março

Copyright © 2000 - 2017, Acesso ao Insight - Michael Beisert: editor, Flávio Maia: designer.