Amizade admirável

Kalyanamittata



Definição

"E o que significa ter pessoas admiráveis como bons amigos? É o caso em que um leigo, em qualquer cidade ou vilarejo que ele viva, ele passa o tempo com chefes de família ou filhos de chefes de família, jovens ou idosos, que possuem a virtude desenvolvida. Ele conversa com eles, participa de discussões com eles. Ele emula a convicção consumada daqueles que são consumados em convicção, virtude consumada daqueles que são consumados em virtude, generosidade consumada daqueles que são consumados em generosidade e sabedoria consumada daqueles que são consumados em sabedoria. A isto se denomina ter pessoas admiráveis como bons amigos.."

-- AN VIII.54


Uma razão para o desenvolvimento de qualidades hábeis

"Com relação a fatores externos, eu não vejo nenhum outro único fator como a amizade com pessoas admiráveis que faça tanto por um bhikkhu em treinamento, que ainda não atingiu o objetivo mas que permanece decidido a alcançar a insuperável libertação do apego. Um bhikkhu que tem amizade com pessoas admiráveis abandona o que não é hábil e desenvolve o que é hábil."

-- It 17


Escolha seus companheiros com cuidado

"Existem quatro escoadouros da fortuna de uma pessoa: ser seduzida pela sensualidade; ser seduzida pela bebida; ser seduzida pelo jogo; e ter pessoas más como amigos, associados e companheiros. Tal como se houvesse um grande reservatório com quatro condutos e quatro escoadouros e um homem fechasse os condutos e abrisse os escoadouros e o céu não vertesse chuvas adequadas, o esgotamento daquele grande reservatório poderia ser previsto, não o seu incremento. Da mesma forma, existem esses quatro escoadouros da fortuna de uma pessoa: ser seduzida pela sensualidade; ser seduzida pela bebida; ser seduzida pelo jogo; e ter pessoas más como amigos, associados e companheiros."

-- AN VIII.54


Um pré requisito para a iluminação

“Se errantes membros de outras seitas lhe perguntassem, ‘O que, amigo, são os pré requisitos para o desenvolvimento dos apoios para a iluminação?’ Vocês deveriam responder, ‘É o caso em que um bhikkhu tem pessoas admiráveis como bons amigos, companheiros e camaradas. Esse é o primeiro requisito para o desenvolvimento dos apoios para a iluminação.

-- AN IX.1


O todo da vida santa

Então o venerável Ananda foi até o Abençoado e depois de cumprimentá-lo sentou a um lado e disse:

“Venerável senhor, isto é metade da vida santa, ter pessoas admiráveis como bons amigos, companheiros e camaradas.”

“Não diga isso, Ananda. Não diga isso, Ananda. Essa é toda a vida santa, Ananda, isto é, ter pessoas admiráveis como bons amigos, companheiros e camaradas. Quando um bhikkhu tem pessoas admiráveis como bons amigos, companheiros e camaradas, é de se esperar que ele desenvolva e se dedique ao nobre caminho óctuplo.

“E como, Ananda, um bhikkhu que tem pessoas admiráveis como bons amigos, companheiros e camaradas desenvolve e se dedica ao nobre caminho óctuplo? Aqui, Ananda, um bhikkhu desenvolve o entendimento correto que tem por base o afastamento, o desapego e a cessação, que amadurece no abandono. Ele desenvolve o pensamento correto ... linguagem correta ... ação correta ... modo de vida correto ... esforço correto ... atenção plena correta ... concentração correta que tem por base o afastamento, o desapego e a cessação, que amadurece no abandono. Assim é como um bhikkhu que tem pessoas admiráveis como bons amigos, companheiros e camaradas desenvolve e se dedica ao nobre caminho óctuplo.

“E seguindo esse método, Ananda, também é possível compreender como toda a vida santa é ter pessoas admiráveis como bons amigos, companheiros e camaradas: é contando comigo como um bom amigo que os seres sujeitos ao nascimento se libertam do nascimento, que os seres sujeitos ao envelhecimento se libertam do envelhecimento, que os seres sujeitos à morte se libertam da morte, que os seres sujeitos à tristeza, lamentação, dor, angústia e desespero se libertam da tristeza, lamentação, dor, angústia e desespero. Seguindo esse método, Ananda, é possível compreender como toda a vida santa é ter pessoas admiráveis como bons amigos, companheiros e camaradas.”

-- SN XLV.2


Os benefícios de ter pessoas admiráveis como amigos

"Quando um bhikkhu tem pessoas admiráveis como bons amigos, companheiros e camaradas, pode-se esperar que ele será virtuoso, será contido de acordo com o Patimokkha, perfeito na conduta e na sua esfera de atividades. Temendo a menor falha, ele treinará adotando os preceitos de virtude.

" Quando um bhikkhu tem pessoas admiráveis como bons amigos, companheiros e camaradas, pode-se esperar que ele ouvirá de acordo com sua vontade, com facilidade e sem dificuldade, linguagem que deveras é circunspecta e que leva a abrir a mente, isto é, conversa acerca de ter poucas necessidades, acerca da satisfação, acerca do isolamento, de não estar enredado, de estimular a persistência, acerca da virtude, acerca da concentração, acerca da sabedoria, acerca da libertação, e do conhecimento e visão da libertação.

" Quando um bhikkhu tem pessoas admiráveis como bons amigos, companheiros, e camaradas, pode-se esperar que ele permaneça com a sua energia estimulada para o abandono de qualidades mentais prejudiciais e para a obtenção de qualidades mentais benéficas; ele será decidido, firme no seu esforço, sem se esquivar das suas responsabilidades com relação ao cultivo de qualidades mentais benéficas.

" Quando um bhikkhu tem pessoas admiráveis como bons amigos, companheiros, e camaradas, pode-se esperar que ele terá completa compreensão da origem e cessação - nobre, penetrante, que conduz ao fim do sofrimento."

-- AN.IX.1


Qualidades de um professor do Dhamma

"Não é fácil ensinar o Dhamma a outros, Ananda. O Dhamma deveria ser ensinado a outros somente quando cinco qualidades estiverem estabelecidas na pessoa que ensina. Quais cinco?

"[1] O Dhamma deve ser ensinado com o seguinte pensamento, 'Eu falarei passo a passo.'

"[2] O Dhamma deve ser ensinado com o seguinte pensamento, ‘ Eu falarei explicando a seqüência [de causa e efeito].'

"[3] O Dhamma deve ser ensinado com o seguinte pensamento, ‘ Eu falarei por compaixão.’

"[4] O Dhamma deve ser ensinado com o seguinte pensamento, "Eu falarei sem o propósito de recompensa material.’

"[5] O Dhamma deve ser ensinado com o seguinte pensamento, ‘Eu falarei sem menosprezar a mim ou aos outros.’

"Não é fácil ensinar o Dhamma a outros, Ananda. O Dhamma deve ser ensinado a outros somente quando essas cinco qualidades estiverem estabelecidas na pessoa que ensina.

-- AN V.159 


Mantendo a companhia dos sábios

Bom é ver os nobres,
sempre bom estar em sua companhia.
Não ter que lidar com os tolos
sempre traz felicidade.

Deveras quem permanece com os tolos
sofre por muito tempo.
a companhia dos tolos é sempre dolorosa,
como uma parceria com um inimigo.
Mas a companhia dos sábios traz a felicidade,
como o encontro com um parente confiável.

Portanto busque a companhia do nobre que é sábio, estudado,
sólido na virtude, determinado (por nibbana).
Alguém assim deve ser seguido,
tal como a Lua segue o caminho das estrelas.

-- Dhp 206-208 


Nunca com um companheiro ruim

Eu estou cego,
os meus olhos estão destruídos
Eu tropecei
em uma trilha na floresta.
Mesmo
se eu precisar rastejar,
eu continuarei,
porém não com um companheiro ruim.

-- Thag 95


O passo seguinte no Treinamento Gradual: Pensamento Correto

 

Revisado: 24 Maio 2014

Copyright © 2000 - 2017, Acesso ao Insight - Michael Beisert: editor, Flávio Maia: designer.