Vipassana Prático

Por

Bhante Henepola Gunaratana

Somente para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser impresso para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser re-formatado e distribuído para uso em computadores e redes de computadores
contanto que nenhum custo seja cobrado pela distribuição ou uso.
De outra forma todos os direitos estão reservados.

 


 

Você deve ter ouvido que uma pessoa deveria estar com a atenção plena o tempo todo, quer esteja em casa ou no escritório, ou num ônibus ou no seu carro ou no carro de um outra pessoa, etc. Esse conselho poderia ser interpretado como você tendo que manter a mente focada o tempo todo na respiração. Ao dirigir, se você mantiver a mente só na respiração provavelmente irá enfrentar alguns problemas, tal como não dar atenção ao processo de dirigir e correr o risco de ter um acidente.

Algumas vezes você poderá pensar que “estar com atenção plena o tempo todo” significa colocar a atenção apenas naquilo que você estiver fazendo naquele momento em particular. Isso, é claro, é o que toda pessoa que leva o seu trabalho a sério normalmente faz. Um artista, pintor, escritor, cantor, compositor, pensador, orador, atirador, cozinheiro, etc. precisa prestar atenção àquilo que está fazendo durante todo o tempo em que estiver engajado no seu trabalho.

Não são só os seres humanos que fazem isso. Você deve ter notado como os gatos prestam total atenção à sua presa para poderem capturá-la, sem cometer nenhum erro que possa assustá-la. Tigres, leões, crocodilos prestam total atenção àquilo que estão fazendo para capturar a sua presa. Pode ser que você tenha notado que as garças permanecem paradas num único lugar por um longo tempo para agarrar um peixe. Cães pastores ficam totalmente atentos aos movimentos das ovelhas para que possam correr com rapidez e dirigir o rebanho na direção certa. Infelizmente nem o gato, a garça ou o cão pastor são capazes de remover a sua cobiça, paixão, etc., ou cultivar um pouquinho que seja de insight prestando total atenção aos seus objetos.

Prestar atenção ao que quer que seja que você esteja fazendo em todos os momentos não irá eliminar o seu desejo, raiva e ignorância. Isso, na verdade, é exatamente o que você faz na meditação da tranqüilidade ou concentração. Ao prestar atenção a uma coisa de cada vez não será possível eliminar os irritantes psíquicos. Você pode focar a sua mente em apenas um objeto durante cinqüenta anos e ainda assim a irritação psíquica na sua mente permanecerá inalterada. Uma pessoa pode observar todas as regras de comportamento virtuoso. Uma outra pode aprender de memória todas as escrituras. Outra ainda, pode obter a concentração. Outra pode passar toda a sua vida em solidão. Todas elas podem pensar que serão capazes de experimentar a libertação suprema de todos os irritantes psíquicos, que não está ao alcance da pessoa comum. Mas nenhuma delas poderá ter esse tipo de experiência se não destruírem todos os irritantes psíquicos. Então, em adição a tudo aquilo que elas praticam, elas também precisam remover todas as suas impurezas psíquicas para que possam experimentar a felicidade da emancipação de todos os tipos de dor.

O que fica faltando ao focar a total atenção num único objeto durante todo o tempo é a sabedoria. A sua atenção plena deve estar combinada com a atenção com sabedoria ou reflexão com sabedoria (yoniso manasikara). O que é atenção combinada com a reflexão com sabedoria? É a atenção acompanhada pelas três raízes benéficas. O que são as três raízes benéficas? Elas são a generosidade, o amor bondade e a sabedoria. Isso significa que quando você prestar atenção em algo tente sempre colocar a sua atenção sem o desejo, raiva ou delusão; com o pensamento de generosidade, amor bondade e sabedoria. Essas três são chamadas de raízes benéficas; o desejo, a raiva e a delusão são chamadas de raízes prejudiciais. Não permita que a sua mente seja influenciada pelas raízes prejudiciais ao prestar atenção em algo. Deixe que os pensamentos de generosidade, amor bondade e sabedoria dominem a sua mente enquanto estiver dando atenção a qualquer coisa.

Ao prestar atenção enquanto você lava as panelas, não é necessário pensar em termos de generosidade, amor bondade e sabedoria em relação a elas. Você cultiva a atenção plena não pelas panelas mas pelos seres vivos. Você deve prestar atenção a qualquer pensamento que diga respeito a você ou a qualquer outro ser vivo. Aplique a reflexão com sabedoria ao vestir a roupa, comer, beber, falar com alguém, ouvir um som, ver um objeto, caminhar ou dirigir.

Ao prestar total atenção refletindo com sabedoria, o seu desejo, raiva e delusão se diluem, porque ao refletir com sabedoria a generosidade, amor bondade e sabedoria são ativados. Os seus pensamentos de generosidade, amor bondade e sabedoria têm o poder de minimizar o seu desejo, raiva e delusão em qualquer atividade que você esteja engajado. Ao prestar atenção em algo, sem refletir com sabedoria, você poderá inadvertidamente desenvolver o desejo, raiva e delusão. Você pode, por exemplo, ver um objeto. Aos seus olhos aquele objeto pode parecer atraente, belo ou prazeroso ou ele pode não ser atraente. Naquele instante se você não refletir com sabedoria, poderá acabar desenvolvendo o desejo ou aversão em relação a ele ou poderá ter idéias absolutamente confusas a respeito dele. Ou poderá pensar que o objeto é permanente ao invés de compreender que ele é impermanente; que traz a satisfação ao invés da insatisfação; ou que possui um eu ao invés de estar desprovido de um eu.

Você poderá então perguntar como é que os seus pensamentos generosos podem eliminar os seus pensamentos desejosos, visto que estes querem se apegar ao objeto ou agarrá-lo. Ao perceber o objeto com desejo, a sua mente se apega a ele e não aceita nenhum pensamento no sentido de abandonar esse desejo. Pode ser que você não queira nem tirar os olhos do objeto. Na verdade, naquele momento a sua mente fica cega a qualquer pensamento de generosidade. Mesmo que queira soltar-se do apego ao objeto você assim o fará com grande relutância. Você pode sentir que é generoso. Mas a sua generosidade servirá apenas para satisfazer o seu propósito desejoso: como obter algo em troca, ou obter reconhecimento, ou ficar famoso pela generosidade. O desejo possui um adesivo muito forte. Ao primeiro contato com o objeto desejável a mente cola nele com rapidez. Soltar-se daquele objeto é tão doloroso quanto cortar fora um membro ou algum pedaço do seu corpo, assim você não consegue soltar o objeto da sua mente.

É quando você realmente precisa da atenção com sabedoria. É quando você precisa aprender a ver a impermanência, insatisfação e ausência de um eu no objeto que você está observando. A sua atenção com sabedoria indica que nem o objeto que você percebe nem a sua sensação em relação ao objeto permanecem as mesmas, nem mesmo por dois momentos consecutivos. Você não terá a mesma sensação mais tarde. Você muda, o objeto que você percebe muda. Com a atenção com sabedoria você irá ver que tudo é impermanente. Esse entendimento da impermanência permite que você se solte do seu ressentimento. Ao ver com sabedoria que tudo aquilo que é insatisfatório é impermanente, você verá a conexão entre o desejo e o insatisfatório. Como você está apegado a um objeto impermanente, você ficará desapontado com as mudanças que ocorrem nele. Ao ver com sabedoria, verá que aquilo que é impermanente e insatisfatório não possui um eu.

Então você poderá pensar “Ah! Como este objeto irá mudar, eu preciso ser rápido e esperto para tirar vantagem deste objeto neste momento e obter minha satisfação tão rápido quanto possível antes que ele desapareça. Amanhã ele não estará mais aqui.” Nesse caso você deve se lembrar que a pressa é a inimiga da perfeição. Se você tomar decisões apressadas e fizer algo tolo, irá se arrepender mais tarde. Algumas vezes você se sente atraído por uma pessoa, por exemplo, e se empenha em conquistá-la sem dar muita atenção ao fato de que mais tarde irá descobrir muitos defeitos nela. Nas decisões apressadas não existe atenção plena. Você não pode vencer o processo de mudança, nem pode pará-lo tomando decisões apressadas e tolas.

Quando a sua atenção plena está bem desenvolvida, então mesmo sob pressão você toma a decisão acertada. A única coisa sensata a ser feita para vencer a impermanência é dar um passo atrás e investigar a sua mente para ver se a decisão está sendo tomada com base na sabedoria. Com a atenção plena você saberá como se beneficiar do momento presente de forma a não se arrepender mais tarde. Qualquer decisão que você tome com atenção plena fará com que você fique feliz e pacífico e nunca fará com que você se arrependa mais tarde.

Lembre-se sempre que a atenção plena é o estado mental pleno de generosidade, amor bondade e sabedoria juntamente com a compaixão, alegria altruísta e equanimidade. Sempre que você estiver prestando atenção em algo, você deve se perguntar se a sua mente contém esses fatores. Se não contiver, você não está com atenção plena.

Com generosidade na mente você abandonará qualquer visão, som, aroma, sabor, tangível e pensamento agradável sem hesitação. Você, seguramente, deverá reconhecê-los como atraentes no sentido convencional. Compreenda que é devido à sua atratividade que as pessoas se apegam a eles e se envolvem com eles. Quanto mais profundo for o envolvimento, mais profundo será o sofrimento. Com amor bondade na mente você não tentará rejeitar nenhuma visão, som, aroma, sabor, tangível e pensamento se eles não forem atraentes. Com atenção plena compreenda que eles são impermanentes. Quando uma visão, som, aroma, sabor, tangível ou pensamento parecer identificado com o eu, olhe para isso com sabedoria como um conceito irreal, noções errôneas inculcadas na sua mente pelo condicionamento ao longo de muitas gerações.

Atenção plena não é ter cuidado. Não é ser esperto. Qualquer pessoa pode ser cuidadosa e esperta. Um equilibrista sobre o arame cem metros acima do solo é cuidadoso. Igual aos acrobatas que realizam todo o tipo de façanhas. Os alpinistas que escalam montanhas altíssimas com paredões inclinados, escorregadios, têm que ser muito cuidadosos. Muitos ladrões são muito espertos e passam a perna na polícia. Muitos traficantes de drogas, ladrões de bancos, criminosos são muito espertos. Não se pode considerar que nenhum deles tenha atenção plena.

Atenção plena é o estado da mente que reflete sobre si mesma para não ser aprisionada pelo desejo, raiva e ignorância que causam o sofrimento tanto para a própria pessoa como para os outros ou ambos.

Quando dizemos para as pessoas que não cultivem o ressentimento, algumas pessoas nos perguntam como podemos viver sem ressentimento? Esse é o milagre da atenção plena. Ao praticar a atenção plena você aprende a fazer as coisas mais difícieis com facilidade. Não ficar ressentido, desejoso ou confuso é muito dificil. Através do treinamento constante da atenção plena você aprende a viver sem ressentimento, cobiça ou confusão. Por outro lado, estar com a atenção plena é mais difícil do que estar sem a atenção plena. Mas você aprende a fazer o que é mais difícil com facilidade, ao invés de fazer aquilo que é mais fácil. Por essa razão o Buda disse:

Para o bom fazer o bem é fácil
Para o mau fazer o mal é fácil
Para o mau fazer o bem é difícil
Para o nobre fazer o mal é difícil

Isso significa que aquilo que é muito difícil no começo fica mais fácil através da prática constante.

 

 

Revisado: 30 Novembro 2002

Copyright © 2000 - 2017, Acesso ao Insight - Michael Beisert: editor, Flávio Maia: designer.