Linguagem Correta

Por

Ajaan Thanissaro

Somente para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser impresso para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser re-formatado e distribuído para uso em computadores e redes de computadores
contanto que nenhum custo seja cobrado pela distribuição ou uso.
De outra forma todos os direitos estão reservados.

 


 

Meu mestre dizia, "Se você não consegue controlar a sua boca, não existe esperança de que irá controlar a sua mente." Por essa razão a linguagem correta é tão importante na prática diária.

A Linguagem Correta explicada em termos negativos significa evitar quatro tipos de linguagem que são prejudiciais: mentiras (palavras que são ditas com a intenção de distorcer a verdade); maldosas (palavras ditas com a intenção de separar as pessoas); grosseiras (palavras ditas com a intenção de ferir outra pessoa emocionalmente); e frívolas (palavras ditas sem a intenção de algum significado).

Observe o foco na intenção: é nesse ponto que a prática da linguagem correta cruza com o treinamento da mente. Antes de você falar, você foca no porquê você quer falar. Isso ajuda você a tomar contato com todas as maquinações que estão ocorrendo no comitê de vozes que dirigem a sua mente. Se você percebe alguma motivação inábil se ocultando por detrás das decisões do comitê, você poderá vetá-las. Como resultado você estará mais atento consigo mesmo, mais honesto consigo mesmo, mais firme consigo mesmo. Você também evita dizer coisas das quais se arrependerá mais tarde. Dessa forma você fortalece qualidades da mente que lhe auxiliarão na meditação, ao mesmo tempo que evita qualquer tipo de recordação dolorosa que atrapalharia a atenção no momento presente, quando chegar a ocasião de meditar.

Em termos positivos, a linguagem correta significa falar de forma honesta, harmoniosa, confortante e digna de ser levada a sério. Quando você pratica essas formas positivas de linguagem correta as suas palavras se convertem em bênçãos para os outros. Em resposta, as outras pessoas irão prestar mais atenção àquilo que você tem a dizer e provavelmente irão responder da mesma forma. Isso lhe dá uma idéia do poder das suas ações: a maneira como você age no momento presente de fato molda o mundo das suas experiências. Você não precisa ser uma vítima de eventos passados.

Para muitos de nós a parte mais difícil da prática da linguagem correta se encontra na forma como expressamos nosso senso de humor. Especialmente quando damos boas gargalhadas através do exagero, sarcasmo, estereótipos e pura bobagem - todos exemplos clássicos de linguagem incorreta. Se as pessoas se acostumam com esse tipo de humor negligente, elas irão parar de ouvir com cuidado aquilo que temos a dizer. Dessa forma vulgarizamos o nosso discurso. Na verdade já existe ironia suficiente no mundo portanto, não precisamos exagerar ou ser sarcásticos. Os melhores humoristas são aqueles que simplesmente nos fazem ver diretamente as coisas como elas são.

Expressar o nosso humor de forma honesta, útil e sábia pode exigir que pensemos e nos esforcemos, mas quando nos tornamos mestres nesse tipo de sutileza nos damos conta de que o esforço valeu a pena. Aguçamos a nossa mente e melhoramos a nossa linguagem. Dessa forma, mesmo as nossas piadas se tornam parte da nossa prática: uma oportunidade para desenvolver qualidades positivas na mente e oferecer algo de valor intelectual para as pessoas que nos rodeiam.

Assim, tenha muito cuidado com aquilo que você diz - e com o porquê você o diz. Ao fazer isso, descobrirá que uma boca aberta não é necessariamente um erro.

 

 

Revisado: 22 Novembro 2000

Copyright © 2000 - 2017, Acesso ao Insight - Michael Beisert: editor, Flávio Maia: designer.